segunda-feira, 28 de março de 2016

Dica sobre Finanças: Regra do 50-15-35

Um dos maiores desafios quando se tem uma casa para sustentar é como dar conta de tudo. As vezes nos perdemos com relação a o que investir e como investir, quanto gastar... Depois de muito tempo sambando nesse quesito, eu vou tentar colocar em prática a regra dos 50-15-35, conhece?



Regra do 50-15-35

A grande dúvida de muitas pessoas que querem controlar melhor suas finanças é como fazer os gastos caberem dentro da renda mensal. Essa não é mesmo uma tarefa fácil, já que as necessidades e tentações de consumo estão por todos os lados.

Para resolver esse problema, a dica do cofundador do GuiaBolso, Thiago Alvarez, é criar metas para o orçamento mensal. Assim, você tem mais clareza do quanto pode gastar em cada despesa para conseguir atingir seus dois primeiros objetivos financeiros:

1. Parar de fechar o mês no vermelho;

2. Começar a guardar dinheiro.

Existem diversas formas de organizar essas metas. Uma delas é aplicar a regra dos 50-15-35. Você já ouviu falar nela?

A boa notícia é que a regra dos 50-15-35 funciona de forma muito simples. A partir de agora, na hora de destinar sua renda para suas despesas mensais, você passará a considerar três grandes grupos:

50% para gastos essenciais:
Os gastos essenciais englobam todos as despesas necessárias para você se manter no dia-a-dia: moradia, educação, saúde, transporte e alimentação são exemplos. Logo, entram nessa categoria gastos como: aluguel, conta de luz, gás, telefone, escola, passagem de ônibus, gasolina, aula de inglês, convênio médico, remédios, terapia, feira e supermercado.

15% para prioridades financeiras:
Há duas possibilidades para suas prioridades financeiras, dependendo de como está sua situação financeira:

1. Se você está endividado: sua prioridade financeira será quitar suas dívidas. Vale lembrar que dependendo da gravidade da sua situação financeira, talvez seja necessário comprometer mais do que 15% da renda para resolvê-la. Nesse caso, você terá que compensar cortando gastos nos dois demais grupos: estilo de vida (falaremos dele em seguida) e gastos essenciais (apesar de haver menor margem de corte, sempre é possível economizar na conta de celular e supermercado).

2. Se você não está endividado: sua prioridade financeira será poupar parte da sua renda para conquistar seus objetivos de médio e longo prazo. Guardando 15% da renda por mês, seu primeiro objetivo financeiro deve ser construir uma reserva de emergência de três a seis salários, para que você se proteja dos momentos de incerteza da vida e não tenha que recorrer ao cheque especial cada vez que se deparar com um gasto inesperado.

35% para manter seu estilo de vida:
Com os gastos essenciais em ordem e as prioridades financeiras garantidas, você está livre para usar o dinheiro com o que te dá prazer. As despesas relacionadas a seu estilo de vida são todas aquelas que não são essenciais (ou seja, podem ser cortadas em um momento de aperto), mas são importantes para que você se divirta e aproveite a vida: bares e restaurantes, balada, academia, salão de beleza, viagens, tv a cabo, assinatura de revistas e compras no shopping são exemplos.

O grande segredo é entender que as despesas relacionadas ao estilo de vida devem vir DEPOIS de você já ter cuidado dos seus gastos essenciais e das suas prioridades financeiras. Nessa situação, você está livre para gastar sem culpa nenhuma.

Fonte: Guia Bolso



7 comentários:

  1. Houve uma época da minha vida que pesquisei muito sobre finanças, e cheguei a encontrar esse método, mas descrito por outras pessoas. Eu sempre achei muito válido, embora não acredito que se aplique à quem trabalha e ganha cerca de um salário mínimo aqui no Brasil, Aninha. Quando você para pra pensar, por exemplo, que o salário está em torno de 700 e pouco (é isso?!) e um aluguel de um lugar razoável está quase o mesmo valor, é que você perceber o quanto nosso país está DOENTE. Mas a idéia é boa sim, e muito válida, embora eu ache bem difícil de ser aplicada pela parte mais pobre da população. :(

    Adorei o texto! <3
    4sphyxi4.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade.. quem ganha pouco não é aplicável mesmo..
      Mas se conseguirmos ao menos usar o método para guardar nem que seja 10% já é uma grande coisa! O pior é começar guardar e entender a importância disso.

      Excluir
  2. Bem legal esse método mas infelizmente o meu percentual com gastos mensais é maior que 50% @_@~ (morar sozinha é triste quando não se tem mta grana)

    Bjs!
    Sussurro do Ar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade. Tenso.. eu estou tentando aplicar na medida do possível.. vamos ver se consigo ^-^

      Excluir
  3. Como disseram as pessoas aí em cima, pra quem ganha pouco, a idéia é impraticável, embora seja um ótimo método se a pessoa tiver um salário digno.
    4sphyxia, com certeza nosso país está doente.
    Obrigada pelo post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Luciana, mas vamos tentando na medida do possível.
      Preciso aprender a ter um fundo reserva.

      Excluir
  4. É basicamente o que minha mãe me ensinou desde sempre. Uma parte para pagar as dívidas, uma parte para guardar e outra para gastar e se divertir. Mas acho bem difícil essas regrinhas quando se trata de um salário baixo, onde o salário mal, mal dá pra pagar os essenciais. É complicado fazer isso quando a grande maioria dos brasileiros sobrevive com um salário mínimo.
    bjin

    http://monevenzel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir